magnify
Home Textos Xadrez em linhas: A vida de Keres
formats

Xadrez em linhas: A vida de Keres

Xadrez em linhas – Keres, o Compositor

17/02/2013

Apresentação

A proposta desta coluna é apresentar conteúdos variados relacionados ao xadrez. Sem abdicar de material “técnico” (análise de partidas, problemas, estudos, finais, regras, arbitragem, etc) e outros tais como ensino de xadrez, buscamos abordar algum aspecto de interesse histórico, biográfico ou, se não original, pelo menos incomum ou pitoresco.

Texto nº 1

A escolha do primeiro texto decorre dessa proposição, já que trata de uma faceta pouco conhecida do Grande Mestre soviético Paul Petróvitch Keres (1916 – 1975), nascido na cidade de Narva (Estônia).

Keres era tido como um dos maiores não campeões do mundo e infelizmente não teve oportunidade de disputar o título com Alekhine num possível “match” que se negociava após sua vitória no famoso torneio A.V.R.O. (Radiodifusão Holandesa), em 1938, devido à irrupção da Segunda Guerra Mundial no ano seguinte.

Naquela competição superou nada menos que os campeões mundiais Botvinnik, Alekhine, Capablanca e Euwe!

Keres esteve no Brasil em 1973, para participar do primeiro torneio Interzonal realizado em nosso país.

Faleceu em 1975, poucos dias depois de disputar o Torneio de Vancouver (Canadá).

 

O texto que apresentamos a seguir foi traduzido de um capítulo do livro de Yakov Neyshtadt sobre a carreira de Keres, publicado em russo, garimpado da biblioteca da ALEX.

Neyshtadt, Yakov Isayevitch. Keres i Shakhmatnaya Compozitsiya (In: ______. Shakhmatnaya Universityeta Paulya Keresa. Moscou: Fizcultura i Sport, 1982, p. 219-221.)

Tradução do russo: Fernando Madeu


Keres e a composição enxadrística

O talento enxadrístico multifacetado de Keres manifestou-se não apenas no jogo prático e na análise. Já nos tempos de escola, o futuro Grande Mestre se entusiasmara pela composição de problemas. Quando Paul tinha treze anos, teve um de seus problemas de mate em dois publicado na imprensa estoniana.

Ao todo Keres publicou mais de cento e setenta problemas, principalmente de mate em dois lances.

 

DIAGRAMA 1

diagrama1

Mate em dois lances

 

 

 

DIAGRAMA 2

diagrama2 

Mate em dois lances

 

DIAGRAMA 3

diagrama3 

Mate em dois lances

 

 

 

DIAGRAMA 4

diagrama4 

Mate em dois lances

 

 

 

 

DIAGRAMA 5

diagrama5 

Mate em dois lances

 

 

Respostas na próxima semana…

resposta diagrama 1

O tema é o da “rosácea do cavalo”. O lance 1. Bg2 cria a ameaça 2. Cf3#. Nenhuma das oito jogadas com o cavalo evita o mate.
O problema ganhou o primeiro prêmio em um concurso norueguês (1933).

resposta diagrama 2

Jogando 1. Ce6 com ameaça de 2. Cd4#, as brancas concedem ao rei preto duas casas de fuga. Se 1. … Be5 2. Cdf4#, ou 1. … Bb6 2. Cc3#.
Esse problema foi agraciado com o primeiro prêmio em um concurso sueco (1935).

resposta diagrama 3

1. Cd4! ameaça 2. Td7#. Se 1. … Bxd4 seguiria 2. Dxb3#; e no caso de 1. … Txd4 2. Cc3#. Outras defesas não ajudariam: 1. … Bf6 2. Bxf7#; 1. … Tf6 2. Te5#.
resposta diagrama 4

1. Cd3! (ameaçando 2. De6 e simultaneamente liberando a grande diagonal). Se 1. … Te3 2. Cf3#; se 1. … Cc5 2. Cc6#; no caso de 1. … Bf7 2. Ce6#.

resposta diagrama 5

Após 1. C3h2! (com a ameaça de 2. Cg4#), as brancas, defendendo-se de qualquer mate de dama, anunciam mate: 1. … Db7+ 2. e4#; 1. … Dc6+ 2. Be4#; 1. … Da8+ 2. d5#.

 

por Fernando Madeu

Professor de xadrez da Escola Municipal Affonso Penna (Rio de Janeiro, RJ)

Árbitro de xadrez da FEXERJ e CBX

Pesquisador de conteúdo em mídia e educação (MultiRio – Empresa Municipal de Multimeios – Rio de Janeiro, RJ)

Professor de Língua Portuguesa – SEE-RJ